Pular para o conteúdo principal

Marinheiro de primeira viagem

Como já escrevi aqui antes, minha primeira viagem ao exterior foi em 2003 para o Canadá, Toronto. Fiquei lá por um mês para fazer um curso de intercâmbio.

Tudo era desafiador: viajar sozinho para um outro país, não dominar o idioma, frio de inverno canadense, além de que não conhecia ninguém lá. Embora estivesse super motivado e psicologicamente preparado, nunca se sabe o que te espera numa situação dessa. Como eu ia ficar em casa de família (homestay), tinha em mãos informações da família, endereço e telefone.

A escola tinha me oferecido, ainda no Brasil, a opções de ter alguém que me recebesse no aeroporto e me levasse de carro até a casa da família. Como a grana era curta, pensei em ir de ônibus mesmo.

Thank God, não precisei gastar todo meu inglês na imigração (diferente de outros colegas da escola que precisaram ir para o famoso quartinho pra responder as perguntas básicas). Bastou dizer ao oficial de imigração o motivo da minha estada no Canadá e apresentar a carta da escola com o endereço da família, além de dizer o tempo de permanência.

Legal, etapa vencida. Peguei minha mala e comecei a pensar onde pegaria o bendito ônibus 192. Nem precisou! Para minha surpresa, havia um russo enorme de igual simpatia, com um cartaz na mão com meu nome. Não acreditava. Caiu do céu. Fui de carro, com todo o conforto que um Lincoln pode oferecer. Nevava, e muito. Estava deslumbrado e tudo parecia um sonho.

A parte mais difícil foi quando chegamos no homestay, fui apresentado à família pelo motorista (que havia acabado de conhecer) e saber que alí seria meu "lar" por quatro semanas.

Pessoas diferentes, que eu nunca havia visto ou conversado antes e ainda falavam um inglês muito rápido. Perceberam que estava meio deslocado e se esforçavam em me deixar o mais à vontade possível. E valeu. Começamos a interagir e foi fácil. Até porque meu colega de quarto, um vietnamita que mora na Rússia, tinha acabado de chegar no dia anterior. Ou seja, todo mundo perdido.

Um detalhe importantíssimo: cheguei num sábado. E daí? Como assim? você deve estar se perguntando.

Continuo no próximo post. ;- )

***


Viram só os notões da Paula? Ela é modesta mas é fera! Claro que ela vai entrar no processo como "aplicante" principal. ;- )

Comentários

Oi, André!

Estou adorando a história...aguardando cenas do próximo capítulo.

A Ana Paula foi muito bem mesmo!!!!!

Boa sorte para vcs!

Postagens mais visitadas deste blog

Você moraria em uma área de terremotos?

Aparentemente nós vamos (se tudo der certo!). Uma amiga minha, que também está com processo encaminhado e queria ir pra Vancouver, veio conversar comigo no início da semana perguntando se eu vi um documentário no Discovery Channel sobre um mega-terremoto que arrasou a costa oeste das Américas em 1700. Segundo especialistas, outro mega-terremoto desses está por vir, em algum momento entre agora e nos próximos 500 anos. Os mega-terremotos são espaçados de 200 a 800 anos, em média.

Aí eu fui catar na internet tudo sobre terremotos em Vancouver. E me deparei com muita informação, inclusive um departamento do governo canadense que cuida só disso, com monitoramento de todos os tremores que acontecem no país - não é só na costa oeste não, acontece em várias partes do Canadá, inclusive no Quebec.

Parece que tremores acontecem com frequência. A cidade tem melhorado a infra-estrutura de edificações para proteger contra grandes tremores e evitar estragos maiores. As pessoas são orientadas como pro…

35mm por 45mm

Quando comecei a ler as instruções do processo e toda a documentação necessária, fiquei muito intrigada com o tamanho das fotos: 3,5 x 4,5 cm. São necessárias 6 fotos. É isso mesmo, não é o padrão 3x4 que a gente conhece, esse meio centímetro de cada lado faz falta. E a especificação não fica por aí... o tamanho do topo da cabeça ao queixo tem que ter entre 2,5 cm e 3,5 cm. Tá tudo detalhado nesse documento, na página C-1.

Primeiro nós tentamos fazer em casa mesmo. Tiramos fotos digitais e manipulei o tamanho no Photoshop. Mas como meus conhecimentos na ferramenta são apenas para a web, é claro que não deu certo. Eu coloquei exatamente o tamanho pedido na régua do Photoshop e quando imprimiu naquele tamanho que eu pedi, a imagem ficou com uma resolução péssima. O que eu tinha que fazer era criar um arquivo em tamanho bem maior, pra quando imprimisse num tamanho menor, a resolução ficar boa. Mas aí tinha que fazer muitos cálculos e proporções pra saber o tamanho necessário do arquivo...…

Fora do ar por tempo indeterminado

Eu nunca pensei que fosse querer encerrar esse blog. Quem me conhece de outros blogs, sabe que eu adoro escrever blogs. O fato é que não há mais tempo. Agora que engatamos de vez na nossa rotina daqui, não sobra tempo pra blogar direito. Eu já tenho o meu outro blog e lá vou continuar escrevendo, mas não exclusivamente sobre as coisas do Canadá.

Outro fator que nos fez dar um tempo com o blog, pra ser bem sincera com vocês, foi um pouco de chateação com a quantidade de emails que recebemos perguntando sobre o processo, sobre a vida aqui, sobre o mercado de trabalho aqui em determinada área. Tem gente que nem se dá o trabalho de ler os arquivos. Tem gente que escreve perguntando do processo de Quebec. Tem gente que vem estudar aqui e quer que a gente indique acomodação. Tem gente que quer saber se o mercado de trabalho em engenharia química ou biblioteconomia (são exemplos, tá) é bom aqui. Tem gente que pergunta se aqui em Toronto (!!!!!) é legal... Ou seja, totalmente sem noção.

Quem já…