<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15371126\x26blogName\x3dDestino:+Canad%C3%A1\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://destino-canada.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://destino-canada.blogspot.com/\x26vt\x3d-4354411323080657729', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Destino: Canadá

Teste prático de direção (Road Test) - Como é em detalhes

Esse post pode ser desinteressante para a grande maioria dos nossos leitores mas como um dos propósitos deste blog é informar, espero que ajude futuros imigrantes interessados em British Columbia.

O fato é que depois de fazer o teste de conhecimento (detalhes aqui) deve ser agendado o teste de direção. A habilitação brasileira é reconhecida aqui no Canadá e sua licença canadense vai constar que você dirige desde sua primeira habilitação brasileira. Isso conta para efeito de seguro.

Uma vez agendado o teste prático, você deve se apresentar junto com os documentos exigidos e aguardar ser chamado.

O teste começa antes mesmo de você ligar o carro. Ajuste os retrovisores e até mesmo o encosto de cabeça mesmo que eles estejam ok. Alem disso o examinador vai examinar as luzes do carro e pedir que você acenda os faróis, aplique setas, pise no freio e ainda pedir para acionar limpadores de vidro e fazer algumas sinalizações com a mão.

Não tenho intenção de abordar todos os ítens do teste mas vou enfatizar os mais importantes:

Sholder check - movimento feito com a cabeça antes do motorista trocar de pista ou virar para esquerda ou direita para eliminar pontos-cegos dos retrovisores. Ou seja, se vai virar verifique os retrovisores e depois faça o sholder check.

Stop - parar é parar mesmo! Não adianta achar que parou. Pare o carro, espere pelo menos 2 segundos antes de andar de novo.

Obedeça a velocidade. Via de regra, na cidade ande a 50Km/h sendo que algumas avenidas permitem 70Km/h. Área escolar 30Km/h, rodovia 80 ou 90Km/h. Toda atenção é pouca.

Hazards - são percepções de perigo e são 4 categorias: condições da rodovia, conflito de espaço, situações de surpresa e bloqueio de visão. O examinador pede, durante a prova, que você mencione algumas destas situações.


Recomendo a leitura do livro (RoadSense for Drivers) com muita atenção devido a quantidade de detalhes. Se possível, contrate uma auto-escola para fazer um simulado prático.

No mais é ter calma e ter a sorte de fazer a prova com um bom examinador.

por André às 17:19, ,

Aprovado!

Como publicado no post anterior, a semana passada poderia ter sido melhor se eu tivesse passado no Road Test (teste de direção). O fato é que foi muito frustrante ter sido reprovado pois desde que chegamos aqui sou o motorista oficial da família e não me lembro de ter recebido uma só buzinada. Mas valeu a experiência, a gente também deve saber aceitar os revezes.

O fato é que refiz o teste hoje e fui aprovado! Agradeço, especialmente, por todos os comentários que, com certeza nos deram muita força.

Enfim, a má notícia não teve vida longa. Ainda bem.

por André às 15:48, ,

Notícias: uma má, duas boas

Na quarta-feira foi a vez do André fazer a prova de direção. Um amigo nosso o levou no local da prova. Você faz a prova no seu próprio carro ou tem que alugar um carro de auto-escola. Eu tinha saído, estava no trabalho voluntário, e quando estava voltando pra casa, liguei pra ele. "Não passei", ele disse. Eu pensei que ele estava brincando - ele adora brincar desse jeito comigo... Mas não, era verdade, ele não tinha passado mesmo. Os motivos? Bem, todos os candidatos recebem uma folha com as anotações do teste, mostrando os erros do motorista. O André acha que a examinadora não foi com a cara dele. Enfim, o que importa era que ele não tinha passado. E que a gente tinha gasto 50 dólares, e teria que gastar mais 50 pra ele repetir a prova.

A nossa quarta-feira foi muito triste. Ficamos super abalados com a má notícia, e eu fiquei morrendo de medo da minha prova, no dia seguinte. Se ele não tinha passado, como é que eu ia passar? Não que eu dirija mal, eu acho que sou boa motorista. Mas diante de um caso desses, qualquer um fica com medo, né?

Pra piorar a situação, ele não poderia me levar na prova (porque foi reprovado). E o nosso amigo não poderia me levar no dia seguinte. Tentamos outros amigos, mas ninguém tinha disponibilidade. Por que a gente precisava de alguém pra levar na prova? Porque as nossas carteiras provisórias são de estudante, que só permite que dirijamos com um outro motorista experiente junto. Não podíamos dirigir sozinhos. Se um policial te pára na rua, é multa na certa, e sabe-se lá mais que penalidades! Eu até pensei em desistir da prova, adiar pra outro dia. A gente já estava levando e buscando a Laura na escola de ônibus.

De noite, o nosso amigo, o mesmo que levou o André, disse que poderia me levar sim. Foi um alívio, eu iria fazer a prova, mas ainda estava apreensiva. Dormi muito mal, e de manhã até dor de barriga me deu!

Na quinta, foi a minha vez. Eu sei que cometi muitos erros, inclusive passar direto num cruzamento quando um pedestre estava atravessando. Já nos primeiros 5 minutos da prova, eu pensei que seria reprovada. Fiz o resto da prova crente que ia ter que fazer a prova de novo. Mas no final de tudo, a examinadora disse que eu passei. Eu mal pude acreditar! Paguei mais 31 dólares para a emissão da carteira, e ela chegará aqui em casa em alguns dias. Estou com uma licença provisória, mas que me permite dirigir normalmente. Agora eu posso levar o André na prova! ;) Ele vai repetir a prova na próxima quarta-feira.

A segunda notícia boa é que tive uma oferta de emprego! :) Confesso que eu não fiquei tão saltitante de felicidade, porque é uma empresa pequena, o escritório é na casa do dono da empresa, que só tem 4 funcionários. A entrevista foi na quinta, num restaurante, pra vocês terem idéia, e super não-estruturada, uma entrevista bem informal. O salário não é lá essas coisas. Não era esse tipo de emprego que eu gostaria de ter, mas pensei muito nesses dias e não podemos desperdiçar oportunidades. Não neste momento. Então eu vou aceitar, vou fazer um teste e ver como é. Eu não tenho nada a perder com isso, pelo contrário. Posso aprender muitas coisas e finalmente vou ter uma "experiência canadense" no currículo, o que pode me ser útil no futuro. Então é isso, começo a trabalhar no dia 4 de junho.

Foi um balanço positivo pra nossa semana. Duas notícias boas, e uma ruim. Espero que mais notícias boas aconteçam nos próximos dias e semanas. Toda essa mudança tem sido uma experiência muito forte e intensa. É um projeto de longo prazo, que demanda muita dedicação e empenho por parte dos imigrantes. São muitos passos pra trás que são dados até começarmos a andar pra frente novamente. Acho que estamos começando a dar os primeiros passos pra frente. Depois eu escrevo melhor sobre isso. Tenho pensado muito nesses dias, e tenho experimentado sentimentos bem fortes também.

Marcadores: ,

por Ana Paula às 10:11, ,

Essa é pra quem mora em Ontario

O Gean pediu pra gente ajudar a divulgar a pesquisa que estão fazendo no Centro Brasil-Angola. Eles querem saber a opinião dos brasileiros que moram na província de Ontario.

Se você mora pras bandas daí, clique aqui pra responder a pesquisa. Se você conhece outros brasileiros que moram em Ontario também, encaminhe o link da pesquisa para eles.

***

E depois eu volto com notícias da prova prática de direção...

Marcadores:

por Ana Paula às 12:55, ,

Três meses de Canadá

No sábado fez três meses que chegamos aqui. É pouco, mas tanta coisa já aconteceu nesse tempo! Estamos muito felizes de começar a construir novamente a nossa vida, num país diferente. O trabalho ainda não apareceu, mas temos fé que vai chegar a nossa vez.

Outro motivo de comemoração é que o André agora é tio (e eu também, por tabela!). A irmã dele teve neném ontem, dia 20. O Enzo é um bebê super fofo, e é nessas horas que a gente sente tristeza por não estar perto da família. A gente queria estar lá pra poder festejar junto com todos a chegada do mais novo membro da família. É o primeiro priminho da Laura! Mas, em breve a gente se encontra, se Deus quiser!

Marcadores: ,

por Ana Paula às 10:11, ,

Vancouver International Children's Festival

Está acontecendo a 30a. edição do Festival Internacional Infantil de Vancouver. Todos os anos, por uma semana em maio, o Festival atrai centenas de famílias. As tendas são espalhadas no Vanier Park, com muitas atividades para crianças, shows de teatro, dança, música e artes visuais.

O músico Rick Scott diz: "Nesses tempos malucos em que vivemos, há pouquíssimos lugares onde as crianças têm segurança para aprender e se divertir. Neste mundo onde as crianças são invadidas por violência, ganância e propaganda, onde vão aprender a falar como se sentem? Com as artes sendo dizimadas das escolas e sendo consideradas irrelevantes, o festival infantil deve ser a nossa mais valiosa tradição".

A gente deve dar um pulo lá no Festival nesse fim-de-semana. Deve ser diversão garantida pra Laura - e pra gente também.

Marcadores:

por Ana Paula às 10:36, ,

Quase habilitados para dirigir

Já demos os primeiros passos para termos a nossa carteira de motorista canadense. Confesso que demos muita bobeira em demorar tanto pra resolver isso. A carteira de habilitação brasileira só tem validade pelos três primeiros meses, ou seja, a nossa vence no próximo dia 19. A minha, pra piorar, venceu no dia 2 de maio. Eu não quis renovar a licença no Brasil porque viria pra cá, e agora é correr atrás pra tirar a carteira daqui o mais rápido possível.

É preciso fazer uma prova teórica e uma prática pra tirar a carteira de motorista. Aqui em British Columbia, você vai em qualquer agência do ICBC (Insurance Corporation of British Columbia), que é como se fosse o Detran no Rio de Janeiro. A diferença é que o ICBC faz tudo relativo a carro, incluindo seguro do automóvel, que é obrigatório e só pode ser feito através do ICBC.

Voltando à preparação para o teste. No ICBC você recebe um livreto com todas as regras de trânsito. Você pode ver o conteúdo do livreto nesta página. Depois de estudar o livro todo você vai no ICBC e pede pra fazer a prova teórica. Não precisa marcar data nem nada, só chegar lá, pagar 15 dólares e fazer a prova de 50 perguntas, múltipla escolha. Você tem que acertar 80% da prova, ou seja só pode errar 10 perguntas.

Eu estudei direitinho, mas na hora da prova tinha hora que eu ficava em dúvida. Podia ser mais de uma opção, certamente. Eu já estava quase finalizando a prova e já tinha errado tudo que podia (10 questões). Era a minha última pergunta e se eu errasse ela, ia ter que fazer a prova de novo (e pagar novamente!). Mas, graças a Deus, tive a luz de acertar a última pergunta e passei raspando! ;) O André foi melhor que eu, ele fez a prova há quase 2 semanas.

O passo seguinte é marcar a prova de direção. Você recebe outro livro (esse aqui) pra estudar. As nossas provas já estão marcadas. O negócio é que tem demorado muito pra marcar a prova prática. Eu só consegui vaga pra 14 de junho. Mas você pode conferir o site do ICBC pra ver se teve alguma desistência e conseguir uma vaga mais cedo. Com isso, consegui adiantar a prova pro dia 4 de junho, e o André, no dia 31 de maio (conseguimos adiantar ainda mais, pra 23 - André - e 24 de maio - eu). Você tem que fazer a prova no seu carro. Se não tiver carro, pode fazer no carro de uma auto-escola.

A minha carteira brasileira ficou retida no ICBC e eu recebi um papel, que é uma habilitação provisória. Eu só posso dirigir com outro motorista experiente do meu lado. Por experiente eles querem dizer motoristas que já tenham uma carteira class 5 válida. Eu agora sou considerada estudante, é mole?

São muitos detalhezinhos. Depois eu escrevo mais sobre essa parte da habilitação aqui em British Columbia.

Marcadores:

por Ana Paula às 07:52, ,

Quanto frio é muito frio?

A preocupação com o clima do Canadá é unânime em todos os candidatos a imigrantes. E não só eles, mas todos nossos familiares e amigos no Brasil sempre perguntam: como é que vocês aguentam esse frio?

Eu acho que a tolerância ao frio é muito pessoal. Cada um sabe o quanto aguenta de frio, e de calor também. Eu, por exemplo, não gosto de calor escandante, que é o clima do Rio de Janeiro. Aquela sensação ruim de sair do banho já suado, sabe? Eu sempre gostei de frio. No frio as pessoas andam mais arrumadas, se vestem melhor, é mais gostoso ficar debaixo das cobertas, tomar chocolate quente, uma sopinha bem feita, essas coisas. É disso que eu gosto.

De qualquer forma, levou um tempo, acho que uma semana, pra me adaptar ao clima daqui. Nós chegamos no fim do inverno, onde a temperatura média era de 5 graus Celsius. Isso é frio pra caramba pra quem saiu do Rio com mais de 30 graus. Nos primeiros dias eu saía toda encasacada, duas camadas nas pernas, meias e mais meias. Depois de uma semana deu pra perceber que aquilo era um exagero só, e eu passei a me vestir normalmente - uma camada apenas nas pernas, uma blusa de manga comprida por baixo e um casaco bem quentinho por cima, de preferência impermeável.

Agora eu já suporto 10 graus numa boa. Agora a temperatura está aumentando. Esses dias tem feito 15-17 graus e até sentimos calor na rua, por incrível que pareça! Imagina se no Rio eu estaria de saia sem meia por baixo com 15 graus Celsius. Pois é, aqui eu me visto assim e não sinto frio. Só não deu ainda pra calçar sandália, ou chinelo de dedo, como eu já vi umas chinesas usando por aí. Meu pezinho ainda sente frio! ;)

Então, é muito relativo quando nos perguntam como aguentamos o frio. Aqui você se acostuma, não tem jeito. Eu não consigo nem me imaginar mais no calorão carioca!

Eu não sei se aguentaria, por exemplo, o inverno da costa leste do Canadá ou de Calgary ou Edmonton, que ficam "aqui perto". Ainda não pegamos temperatura negativa aqui em Vancouver, nem muita neve. Eu tenho vontade de visitar esses lugares no frio bem rigoroso, só pra ver como é. A minha amiga que imigrou pra Toronto disse que pegou um friozão lá, que não dava nem pra andar na rua. Eu não sei como é isso, mas imagino que não deva ser nada confortável. Mas aí você fica dentro dos lugares aquecidos, dentro de carro, e está tudo bem. :)

Estou adorando o clima daqui. Bem, tem a chuva, né? Mas isso é outro papo...

Marcadores: ,

por Ana Paula às 15:28, ,

As cidades mais limpas do mundo

Uma matéria da Forbes do mês passado mostra as 25 cidades mais limpas do mundo. A primeira é Calgary. O Canadá tem 5 cidades na lista:

#1 - Calary
#4 - Ottawa
#10 - Montreal
#10 - Vancouver (empatada com Montreal e outras seis cidades em outras partes do mundo)
#21 - Toronto

Dentre os critérios para entrar na lista das cidades mais limpas estão: planejamento urbano, transporte, energia, tratamento de lixo, etc.

Nenhuma cidade do Brasil entrou na lista. E, estão vendo? Vancouver é mais limpa que Toronto! ;) Vem pra cá... ;)

Fonte: Favoritos

Marcadores:

por Ana Paula às 21:00, ,

Imigrantes, na capa dos jornais

Aqui em Vancouver tem dois jornaizinhos que são distribuídos gratuitamente todos os dias nas ruas, o 24 Hours e o Metro News. Hoje, a manchete principal dos dois falava das dificuldades dos imigrantes em conseguir empregos nas suas áreas. As notícias foram geradas pelo relatório do Statistics Canada, publicado ontem.

A pesquisa do instituto de estatísticas do governo entrevistou milhares de imigrantes em 2002, quando eles estava aqui há seis meses, e entrevistaram muitas dessas mesmas pessoas dois anos depois, pra avaliar como elas se adaptaram ao país, principalmente focando no mercado de trabalho.

O resultado da pesquisa mostra o que a gente já sabia: muitos imigrantes qualificados não conseguem empregos nas suas áreas quando chegam aqui. Nos jornais vi histórias de médicos que vendem cachorro-quente na rua e contadores que viraram caixas de supermercado.

É um pouco frustrante ver essa dura realidade. Se chegamos aqui através de um processo que seleciona profissionais qualificados, por que tais profissionais não conseguem se recolocar no mercado de trabalho canadense?

As notícias só me deixaram mais pra baixo. Não que eu não soubesse disso, eu sabia. Mas é que depois de mandar dezenas de currículos, ter feito cinco entrevistas (uma foi hoje) e até agora nenhum trabalho, tem horas que dá um desânimo só - tá, pode ser TPM também. Eu vou continuar tentando conseguir alguma oportunidade na minha área, mas não descarto a possibilidade de mudar de área, assim como tantos outros imigrantes.

Pelo menos eu estou fazendo um trabalho voluntário. Acabou que aquela primeira oportunidade não rolou porque é meio longe da minha casa, mas encontrei outra instituição que precisava de voluntários pra ajudar no site deles. Aliás, eles realmente precisam mudar aquele site! Eu comecei hoje e vou ter muito trabalho pela frente. Pelo menos isso pra me manter ocupada e trabalhando de alguma forma.

Marcadores: ,

por Ana Paula às 16:13, ,

Quem somos

Ana Paula e André

Ela, carioca, ele, paulistano. Deixaram a violência e falta de perspectiva no Rio de Janeiro para buscar novos desafios e esperança de um futuro melhor para sua filhinha em Vancouver, no Canadá.

Sobre o blog

O blog foi criado com intenção de registrar e compartilhar o processo da mudança, desde as primeiras pesquisas até sabe-se lá quando. Para informações sobre o processo de imigração Federal Skilled Worker para o Canadá, por favor visite os arquivos do nosso blog.

Chegamos no Canadá em fevereiro de 2007.
    Ontem: Rio de Janeiro
    Hoje: Vancouver, British Columbia
    Processo: Federal Skilled Worker

web blog

Assine o blog
Assine por e-mail

Text Link Ads

Atalhos

Posts recentes

Leitura obrigatória

Vancouver, BC, Canadá

Sites úteis

De lá

De cá

Arquivo

Powered By

Powered by Blogger
make 
money online blogger templates
eXTReMe Tracker


Website Counters

Foto: Stanley Park e Downtown Vancouver, de Warwick Patterson, no Flickr.