<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15371126\x26blogName\x3dDestino:+Canad%C3%A1\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://destino-canada.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://destino-canada.blogspot.com/\x26vt\x3d-4354411323080657729', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Destino: Canadá

Balde de água fria

Ontem ficamos sabendo de um caso de visto negado para uma família que entrou com o processo de imigração pro Canadá no ano passado. Ela explica todo o processo, o seu perfil, que teoricamente se encaixaria dentro dos requisitos do processo, etc. Ela disse que o pessoal do Consulado foi super frio, não deram uma chance dela repetir o IELTS ou falar pessoalmente com um Oficial de Imigração para tentar esclarecer sua situação.

Depois dessa, a nossa confiança balançou. Rejeições realmente acontecem.

Não consigo nem imaginar como me sentiria se isso acontecesse conosco. Estamos apostando todas as nossas fichas nesse processo, fazendo planos, já sonhando em como será a vida no Canadá. Já pensou, depois desse investimento todo (financeiro, emocional, psicológico), o visto não for concedido? A vida em stand by um ano inteirinho, pra no final não acontecer o esperado?

É assustador. Mas é bom pra gente também não manter expectativas tão altas. Ter um plano B.

É engraçado. Eu tive exemplos na minha vida em que planejei coisas que não se concretizaram ou aconteceram de forma diferente do que eu tinha imaginado. Pensei que tinha aprendido a nunca mais me dedicar tanto emocionalmente a um plano (porque a queda é muito grande, muito dolorosa, quando não acontece o que a gente planeja). Pensei que tinha aprendido a deixar a vida acontecer, me levando pelos caminhos que ela escolhe.

Apesar disso, me encontro mais uma vez assim: esperançosa, apostando tudo, torcendo muito pra dar certo. Não tenho um plano B. Não pensei que seria preciso. Lá no fundo acho mesmo que vai dar certo. Tem que dar certo.

Bem, dos muitos casos de processos bem sucedidos, esse foi o primeiro que eu vi negado. Acho que isso deve ser encarado de forma positiva. Exceções existem. Só espero não ser uma delas nessa vez.

por Ana Paula às 05:47,

8 Comentários:

às 24/3/06 07:42, Blogger Guilherme disse...

Olá Ana Paula!
Que susto você deu!!
Quando li "DENIED" pensei que era o visto de vocês que tinham negado...Ufa!

Realmente é assustador, mas sempre temos que ser esperançosos...

Como diria um amigo meu: "-Nunca tenha uma sogra chamada Esperança, porque esperança é a última que morre." rsrsrs.

E que a força esteja com vocês.

 
às 24/3/06 11:18, Blogger Luiz disse...

Oi Ana

É verdade, agora estamos em compasso de espera. Estamos apostando todas nossas fichas nessa empreitada, e não temos um plano B como vcs, mas vai dar certo.

Um abraço

Luiz

 
às 24/3/06 13:20, Anonymous Luly :) disse...

Oi, Ana!

Eu li tb sobre esse caso na lista... Eu não sei a quanto tempo acompanha o nosso blog, mas se não conhecia o blog antigo, não sabe que nós tb tivemos problemas com a pontuação.
No nosso caso faltou apenas 1 ponto e acho que por isso que eles nos deram mais uma chance de refazer o IELTS. No caso da moça que teve o visto negado, parece-me que faltaram uns 4 ou 5 pontos, por isso acho que não consideraram apta.
Bom, o que eu percebi com todo o problema que tivemos, é que o Consulado segue as regras e pronto. Não tem avaliação subjetiva. E, apesar de achar o processo um pouco injusto, acho que estão certos em fazer assim. Se vc fez as contas dos pontos, tem como provar que tem aqueles pontos, não se preocupe, vai dar tudo certo! Aí vale de novo o que eu falei: eles seguem as regras, só se baseiam em fatos, se o fato está lá, não tem como eles tirarem pontos.
Quando vcs menos esperarem, o visto vai estar nas mãos de vcs!!! :)

Bjos

 
às 25/3/06 14:42, Anonymous Ary disse...

Ana Paula/Andre.

Please nao facam mais isso. Tirem essa figura de denied dai :-)!! Quase nos matam de susto! Nos aqui tb nao temos plano B - ja estamos esperando vcs e ponto :-). Bem, continuamos aguardando entao...fiquem firmes! Abracos.

 
às 25/3/06 17:48, Anonymous Maitê disse...

Ana Paula, vai dar tudo certo... Vc vai trabalhar com o que no Canada?

Abs

 
às 27/3/06 20:27, Blogger Luis disse...

Cara Ana,

Algumas pessoas acabam se valorizando demais ao preencher os formulários. Eu mesmo, quando preenchi pela primeira vez, marquei incorretamente a minha escolaridade e minha pontuação foi para as alturas. Demorei um tempo pra refazer e perceber o erro.

Não espere sentimentos ou emoção por parte deles. A decisão é 100% técnica. Isso as vezes é bom e as vezes é ruim, como tudo nesta vida.

Fique tranquila, pois tenho certeza de que fez tudo da maneira correta, e que já está com 99,99999% de chances de ter o visto na mão.

Abraços, Luís.

 
às 29/3/06 08:19, Anonymous Mirela disse...

Pensamento positivo, vai dar tudo certo no processo de vcs!

 
às 29/3/06 09:58, Blogger Magno disse...

Ana Paula,
Concordo com o Luís. Já tinha lido esse caso de visto negado no Grupo do Yahoo e percebi rapidamente os erros cometidos e o cálculo da pontuação mínima feito equivocadamente.

A primeira vez que fiz aquele teste da pontuação no site CIC, a pontuação mínima ainda era 75 e a minha realidade estava muito distante dessa pontuação. Em setembro de 2003, quando eu estava em Toronto estudando inglês, para a minha felicidade e da minha namorada a pontuação mudou para 67. Mesmo assim ainda faltavam alguns pontinhos preciosos que eu teria que conquistar através do IELTS e do TEF (o teste de francês) no ano seguinte (2004). Mesmo com essa pontuação, ainda tive que preencher umas 2 ou 3 vezes aquele teste on-line para checar precisamente se atingiria os 67 pontos. Pesquisei, tirei dúvidas, fui para palestras e finalmente preenchi com segurança os requisitos mínimos exigidos para iniciar o processo.

No caso do depoimento citado, o fato dela ter 2 MBA’s não serve para absolutamente nada na pontuação, assim como a pós-graduação lato sensu que eu e minha namorada temos, bem como o fato da minha namorada estar perto da defesa no Mestrado. No nosso caso também foi considerada apenas a graduação. Em outras palavras: ou é técnico ou graduado/bacharel ou Mestre ou Doutor ou PHD, não tem meio termo.

Outra questão:
Tanto faz ter 4 anos de experiência ou os 17 anos de experiência que ela citou, a pontuação será a mesma no “Skilled Worker Self-Assessment” e também para essa análise, de nada serve ela ter trabalhado em empresas multinacionais e usar o inglês diariamente com chefes e colegas estrangeiros. Tem que comprovar > IELTS!

O fato do marido dela ter TOEFL também não é levado em consideração. O TOEFL não abrange os 4 módulos do IELTS e não é reconhecido pelo Consulado. Como citei antes, tanto faz 4 anos de experiência ou os 10 anos dele na construção civil.

O superior incompleto dele “com intenção de terminar no Canadá” e nada é a mesma coisa. A avaliação é realmente objetiva e impessoal, mas está tudo explicado no site CIC.

No caso específico de vocês, venho acompanhando os relatos do processo e da construção desse sonho e sinceramente não vejo motivo para preocupação. Cada caso é um caso e essa situação do visto negado já começou mal em decorrência dos cálculos errados da pontuação.

O de vocês está caminhando muito bem para a realização desse sonho! Não se preocupem! O visto logo, logo chegará! ;)

Abraços,
Magno

 

Postar um comentário

<< Home

Quem somos

Ana Paula e André

Ela, carioca, ele, paulistano. Deixaram a violência e falta de perspectiva no Rio de Janeiro para buscar novos desafios e esperança de um futuro melhor para sua filhinha em Vancouver, no Canadá.

Sobre o blog

O blog foi criado com intenção de registrar e compartilhar o processo da mudança, desde as primeiras pesquisas até sabe-se lá quando. Para informações sobre o processo de imigração Federal Skilled Worker para o Canadá, por favor visite os arquivos do nosso blog.

Chegamos no Canadá em fevereiro de 2007.
    Ontem: Rio de Janeiro
    Hoje: Vancouver, British Columbia
    Processo: Federal Skilled Worker

web blog

Assine o blog
Assine por e-mail

Text Link Ads

Atalhos

Posts recentes

Leitura obrigatória

Vancouver, BC, Canadá

Sites úteis

De lá

De cá

Arquivo

Powered By

Powered by Blogger
make 
money online blogger templates
eXTReMe Tracker


Website Counters

Foto: Stanley Park e Downtown Vancouver, de Warwick Patterson, no Flickr.