Pular para o conteúdo principal

Mais sobre o IELTS

Muita gente tem me perguntado sobre a prova. Resolvi então fazer um post dedicado ao assunto. Tomara que seja útil.

Por quê eu preciso fazer o IELTS?

Um dos itens do checklist da imigração para saber se você está habilitado ou não para se candidatar como Skilled Worker é a habilidade em um dos idiomas oficiais do país, no meu caso, inglês. Para isso, eles pedem que você apresente prova da sua fluência através do exame IELTS (International English Language Testing System). Segundo o site, eles aceitam tanto o IELTS como o CELPIP (que, particularmente, nunca tinha ouvido falar).

Para conseguir a pontuação máxima no item Language Skills, você precisa tirar no mínimo 7 no IELTS, em cada um dos quatro módulos e na média geral. Para uma prova que vai até 9, 7 é uma nota razoavelmente difícil de se conseguir.

Veja a tabela de equivalência das notas e o nível de fluência, conforme está no site da Imigração Canadense:






E se eu tenho fluência suficiente e não quiser fazer o exame?

Não é necessário. No entanto, segundo o site da imigração, eles recomendam fortemente que você faça a prova. Uma alternativa que eles oferecem é apresentar uma declaração pessoal acompanhada de documentações que provem a fluência que você diz ter.

No meu caso, possivelmente eu poderia ser isenta da prova, porque trabalho numa organização internacional e uso inglês diariamente. Pelo sim, pelo não, preferi fazer o IELTS e não me arrependo.


Qual o tipo de IELTS que eu tenho que fazer?

Há 2 tipos de IELTS, o General Training e o Academic. Pra imigração eles pedem o GT, que é mais fácil que o Academic (mais utilizado para quem quer estudar em universidades no exterior).


Como é a prova?

O IELTS não é uma prova do tipo passa x reprova. Ele mede a sua fluência no idioma numa escala de 0 a 9.

São quatro os módulos da prova:

- Listening (igual para o GT e o Academic) - 4 seções, 40 questões, 30 minutos
- Reading - 3 seções, 40 questões, 1 hora
- Writing - 2 tarefas (150 e 250 palavras), 1 hora
- Speaking (igual para o GT e o Academic) - 10 a 15 minutos

Não há questões de gramática específicas no teste, mas os examinadores levam isso em conta também no módulo Writing e Speaking.

Tem gente que fica com medo por que pensa que o IELTS só lida com o inglês britânico. Mentira. Na parte do Listening, há diálogos com os mais variados sotaques em inglês.


Onde eu faço o IELTS?

A instituição que administra o IELTS no Brasil é o British Council. Visite o site para ver as datas das provas em todo o país.

O British Council também oferece eventualmente simulados gratuitos da prova. Eu fiz um no Rio.


Pra estudar

Vale dar uma conferida no site oficial do IELTS. Tem uns exemplos de questões do Writing e Reading.

Há também apostilas com exercícios e CDs. Na Livraria Cultura tem várias delas.

O British Council também vende um kit preparatório do exame, com questões bem parecidas com as da prova real.


Dicas

Listening
Tem que escrever enquanto ouve. Se não sabe uma resposta, não fique parado, vá pra próxima, senão você acaba perdendo as 5 questões seguintes.

Reading
Vá direto pras perguntas e depois volte para os textos para ler. Não leia o texto todo, somente as primeiras linhas de cada parágrafo. Tente localizar nomes próprios, itálicos, negritos. Isso facilita. Eu vi gente que não teve tempo de preencher tudo no cartão de resposta porque ficou lendo tudo. É pura interpretação de texto mesmo.

Em geral, as questões relativas ao texto aparecem na ordem dos parágrafos do texto. Lendo as questôes, você certamente vai ler e reler os textos várias vezes, por isso não leia o texto de cara.

Writing
São 2 composições, uma carta de 150 palavras e um argumento de 250 palavras. Se escrever menos palavras, perde ponto. Então vale separar um tempinho pra contar quantas palavras você já escreveu.

Speaking
Começa com questões pessoais, para quebrar o gelo: nome, se estuda ou trabalha, o que faz, etc. Depois o examinador faz perguntas sobre um tópico qualquer. Eu tive perguntas sobre viagens, por que eu gosto de viajar, pra onde... Depois você tem que fazer um mini-discurso de 1 a 2 minutos sobre um determinado tema. O meu foi pra falar de uma exposição de arte que eu tinha visitado. Seguem mais perguntas em cima do tema do seu discurso.

Seja você mesmo, espontâneo. É a parte de conversar, pura e simplesmente.

Comentários

Oi, Ana Paula!

Se o post foi útil?????? SIMMM e muito. Achoq ue qualquer pessoa lendo vai entender perfeitamnete como é o teste e ainda aproveitar as suas dicas. No nosso caso decidimos ir por Québec, então não precisaremos fazer. Eu, particularmente quero fazer só para ver como estará meu nível de inglês antes de ir. Isso se sobrar tempo! Beijo
Gean disse…
Oi Ana Paula,

Parabens pelo post. Super interessante e explicativo.

beijo
Ary disse…
Oi Ana Paula.

Ótimo post! E parabéns pela nota!

Só gostaria de adicionar um comentário em relação à demonstração de proficiência em inglês.

Como eu já tinha o TOEFL e o TOEIC (eu os usei para meu application para o MBA)eu enviei esses resultados no application para imigração. Resultado: eles não aceitaram e isso atrasou meu processo. Como já estava aqui no Canada, tive que agendar o teste por aqui mesmo.

Assim, a dica que eu dou é para ir "by the book". Prepare-se e faça o teste do IELTS. Não tem erro - se precisar, tome umas aulas com a Ana Paula :-).

Ainda, no meu caso, eles me deram um waiver para a entrevista, o que creio que deve acontecer com você devido a sua formação profissional e a sua nota no IELTS.

No mais, estamos esperando vcs por aqui! O Vinicius vai adorar ter a Laura como amiguinha :-).

Um abraço e saudações minhas e da Viviane.

Ary
Carla disse…
Ola Ana Paula meu nome e Carla sou de Recife,morei em Vancouver seis meses e meio e durante este periodo estudei ingles pelo ILSC meu ingles e fluente mas isso foi em 2001,estou querendo imigrar tenho certificados comprovando que estudei no Canada mas mesmo assim estou estudando para fazer IELTS vc saberia me informar qual o minimo de pontos devo atingir para imigrar ou seja comecar o processo?

Carla.
Deborah C. Gomes disse…
Olá Ana, fiz o IELTS há pouco tempo e utilizei muito a ajuda de blogs como o seu. Deu tudo certo e resolvi retribuir para outros que possam precisar fazendo um post também:
http://destilandoavida.blogspot.com.br/search/label/IELTS

Grande abraço!
Jessica disse…
Nossa eu descobri seu outro blog ontem e decidi fuxicar mais profundamente suas postagens mais antigas e acabei chegando a este aqui! Desde o início do ano estou pensando em sair do país. Ainda tenho um longo caminho a percorrer, tendo em vista, que não sou fluente no inglês. Farei intercambio em Vancouver ano que vem. Estou começando a dar meus primeiros passos para essa jornada e venho lhe agradecer pelas postagens tanto neste quanto no outro blog. Eles estão me ajudando a criar estratégias e metas para realização dos meus objetivos! ;D

Postagens mais visitadas deste blog

Você moraria em uma área de terremotos?

Aparentemente nós vamos (se tudo der certo!). Uma amiga minha, que também está com processo encaminhado e queria ir pra Vancouver, veio conversar comigo no início da semana perguntando se eu vi um documentário no Discovery Channel sobre um mega-terremoto que arrasou a costa oeste das Américas em 1700. Segundo especialistas, outro mega-terremoto desses está por vir, em algum momento entre agora e nos próximos 500 anos. Os mega-terremotos são espaçados de 200 a 800 anos, em média.

Aí eu fui catar na internet tudo sobre terremotos em Vancouver. E me deparei com muita informação, inclusive um departamento do governo canadense que cuida só disso, com monitoramento de todos os tremores que acontecem no país - não é só na costa oeste não, acontece em várias partes do Canadá, inclusive no Quebec.

Parece que tremores acontecem com frequência. A cidade tem melhorado a infra-estrutura de edificações para proteger contra grandes tremores e evitar estragos maiores. As pessoas são orientadas como pro…

35mm por 45mm

Quando comecei a ler as instruções do processo e toda a documentação necessária, fiquei muito intrigada com o tamanho das fotos: 3,5 x 4,5 cm. São necessárias 6 fotos. É isso mesmo, não é o padrão 3x4 que a gente conhece, esse meio centímetro de cada lado faz falta. E a especificação não fica por aí... o tamanho do topo da cabeça ao queixo tem que ter entre 2,5 cm e 3,5 cm. Tá tudo detalhado nesse documento, na página C-1.

Primeiro nós tentamos fazer em casa mesmo. Tiramos fotos digitais e manipulei o tamanho no Photoshop. Mas como meus conhecimentos na ferramenta são apenas para a web, é claro que não deu certo. Eu coloquei exatamente o tamanho pedido na régua do Photoshop e quando imprimiu naquele tamanho que eu pedi, a imagem ficou com uma resolução péssima. O que eu tinha que fazer era criar um arquivo em tamanho bem maior, pra quando imprimisse num tamanho menor, a resolução ficar boa. Mas aí tinha que fazer muitos cálculos e proporções pra saber o tamanho necessário do arquivo...…

Fora do ar por tempo indeterminado

Eu nunca pensei que fosse querer encerrar esse blog. Quem me conhece de outros blogs, sabe que eu adoro escrever blogs. O fato é que não há mais tempo. Agora que engatamos de vez na nossa rotina daqui, não sobra tempo pra blogar direito. Eu já tenho o meu outro blog e lá vou continuar escrevendo, mas não exclusivamente sobre as coisas do Canadá.

Outro fator que nos fez dar um tempo com o blog, pra ser bem sincera com vocês, foi um pouco de chateação com a quantidade de emails que recebemos perguntando sobre o processo, sobre a vida aqui, sobre o mercado de trabalho aqui em determinada área. Tem gente que nem se dá o trabalho de ler os arquivos. Tem gente que escreve perguntando do processo de Quebec. Tem gente que vem estudar aqui e quer que a gente indique acomodação. Tem gente que quer saber se o mercado de trabalho em engenharia química ou biblioteconomia (são exemplos, tá) é bom aqui. Tem gente que pergunta se aqui em Toronto (!!!!!) é legal... Ou seja, totalmente sem noção.

Quem já…